Localização
Avenida da República, 300
2750-475 Cascais
+351 214 826 970
Horário
3ª a domingo
10h às 18h
Última entrada às 17h40
Público Geral: 5€
Residentes: 2.5€

Exposições/

As Óperas e a Colecção/

17 de Maio a 13 de Outubro de 2013

Óperas e Colecção CHPRPaula Rego, Aida, 1983

«I'm just trying to say lots of things in a simpler form. But doing so is the most complex thing in the world.» Paula Rego

A nova exposição da Casa das Histórias Paula Rego apresenta, na sala de exposições temporárias, um núcleo fundamental de catorze obras (incluindo os desenhos-estudos), da série As Óperas, realizadas pela artista durante o ano de 1983. Com excepção da sala de exposições temporárias, as sete salas de exposição são ocupadas com obras da colecção da Casa das Histórias - muitas nunca antes exibidas - que se relacionam, directa e indirectamente, com o universo operático e convocam dinâmicas trágico-cómicas entre personagens humanas, animalizadas e animais humanizados.

Este universo ambíguo e complexo de interacção entre humanos, animais, vegetais e híbridos, começa a ser construído pela artista nos inícios dos anos oitenta. São criaturas com qualidades e comportamentos humanos, atiradas pela artista para situações peculiares, dramas vívidos que invadem ruidosamente a sua pintura, encarnando todo um inventário de temas e personagens presumivelmente identificáveis. A ideia inicial foi transmitida à artista pelo marido, o reconhecido artista britânico Victor Willing (1928-1988), que tinha tido, quando criança, um teatrinho com um macaco vermelho, um cão com uma só orelha e um urso.

Com as Óperas ficaram estabelecidos novos princípios actuantes introduzidos na linguagem visual de Paula Rego, que multiplicam as personagens e repetem elementos formais, explorados numa unidade temática e estilo inconfundível. Esta nova forma de comunicar visualmente as suas histórias e "imagiconografia" ganhará um novo fôlego nas pinturas realizadas durante os anos de 1984 e 1985 e, em particular, nas suas séries Vivian Girls e Dentro e Fora do Mar que recuperam e intensificam a cor enquanto elemento estruturante da composição, aumentam a escala dos personagens e conferem à pintura força e gestualidade até antes não atingidas.

Curadoria: Catarina Alfaro