Localização
Avenida da República, 300
2750-475 Cascais
+351 214 826 970
Horário
3ª a domingo
10h às 18h
Última entrada às 17h40
Público Geral: 5€
Residentes: 2.5€

Mattia Denisse/

DUPLO VÊ
Mattia Denisse


Curadoria: Catarina Alfaro
29 de setembro a 13 de novembro 2016
Exposição prolongada até 27 de novembro de 2016

Inauguração dia 29 de setembro às 18h

DUPLO VÊ é, ao mesmo tempo, o nome em extensão da letra W e "o 'duplo ver' de um Deus vesgo". A partir de uma "deficiência ocular de Deus", Mattia Denisse (1967) fixa o enigma da compreensão do mundo: as coisas são como são (independentemente de como as vemos) ou a realidade é infinitamente inatingível e misteriosa?

As histórias assímptotas - contadas através de 257 desenhos, dispostos em 18 mesas, realizados numa multiplicidade estilística que vai da figuração à simplificação esquemática  -  coexistem e são expostas em paralelo mas com diferentes graus de proximidade. Sem qualquer lógica sequencial aparente, remetem, no entanto, umas para as outras. Duplo Vê (2016), um conjunto de desenhos realizado especificamente para esta exposição, surge como um último capítulo que reconduz todos estes fragmentos narrativos à sua unidade essencial.

duplo vEnsaio sobre o estrabismo de Deus. De Dyeu: ∀

Estas histórias de génese completamente distinta, não se misturando nunca, acabam por se contaminar, abrindo assim a possibilidade de uma narrativa que é, em grande parte, conduzida pelo próprio autor repetidamente representado com e através do seu duplo (doublé). É esta projecção fantasiosa, personagem algo fantasmática e mutável na sua função narrativa, que assume múltiplas facetas em diferentes histórias. De conferencista-erudito, prestes a revelar o sentido do universo a primitivo selvagem; de jogador de xadrez a escritor ou geógrafo, o duplo reflecte apenas uma ideia transversal à exposição: a duplicação aparente da realidade.