Localização
Avenida da República, 300
2750-475 Cascais
+351 214 826 970
Horário
3ª a domingo
10h às 18h
Última entrada às 17h40
Público Geral: 5€
Residentes: 2.5€

Paródias: Paula Rego/ Rafael Bordalo Pinheiro/

Paródias
Paula Rego/ Rafael Bordalo Pinheiro
11 de Dezembro de 2014 a 2 de Agosto de 2015

Curadoria: Catarina Alfaro


Esta exposição delineou-se no amplo contexto de referências indirectas de Paula Rego e estruturou-se, desde logo, a partir de um diálogo não ilustrativo entre as obras dos dois artistas que transmitem, a partir de uma observação atenta do quotidiano, uma visão crítica da vida e dos costumes portugueses da sua época. Paula Rego e Rafael Bordalo Pinheiro, separados por mais de um século e pelas características únicas da sua expressão individual, utilizam a sua produção artística como meio privilegiado de denúncia sociopolítica.

ParódiasRafael Bordalo Pinheiro, O Janeiro, Pub. A Paródia, nº 53, 16-01-1901

A ópera e o teatro são dimensões artísticas frequentemente convocadas por ambos e criam paralelismos, por vezes desconcertantes, entre a vida e o palco, apelando a dinâmicas trágico-cómicas entre personagens humanas, animalizadas e animais humanizados. É este universo ambíguo e complexo de interacção entre humanos, animais, vegetais e híbridos que imediatamente parece relacionar o universo criativo dos dois artistas. Todavia, o que os aproxima não são tanto as temáticas que abordaram nem o modo como tecnicamente as desenvolveram. O que as une é o inequívoco facto de, tanto Rafael Bordalo Pinheiro como Paula Rego, terem feito da sua produção artística um elemento diluidor das hierarquias e de diferenciação entre a arte erudita e a popular, sempre comunicante com o tempo presente através das suas vozes críticas, por vezes mordazes e socialmente interventivas.

Esse olhar caricatural de Rafael que ridiculariza o plano da política e dos costumes da vida portuguesa é a expressão do seu livre pensamento, mais do que um manifesto de intenções transformadoras da sociedade. Já a obra de Paula Rego posiciona-se, muitas vezes, para além da denúncia explícita e transmite a imperiosa necessidade de mudança das mentalidades.

Colecções:
As pinturas, desenhos e gravuras de Paula Rego apresentadas pertencem à colecção da Casa das Histórias e à colecção da Artista.
As obras de Rafael Bordalo Pinheiro seleccionadas para esta exposição pertencem à colecção de Isabel Castanheira (55 litografias) e à colecção do Museu Bordalo Pinheiro (8 desenhos originais, uma litografia e 6 peças em faiança).